Ninguém. Só eu.
5 fevereiro — 17 abril 2022
Curadoria: Antonia Gaeta

Ninguém. Só eu. é uma exposição que resulta do projeto de residência e de apoio à criação artística coordenado por Antonia Gaeta em torno da exposição Jaime: “vi uma cadela minha com lobos”. Os artistas foram convidados a dialogar com a vida e obra de Jaime Fernandes, artista outsider de culto, mas cuja produção se manteve sobretudo conhecida através do filme Jaime (1974) de António Reis e não tanto pelo contacto direto com os desenhos.

Antonia Gaeta propôs uma reflexão sobre o imaginário do autor e das particularidades da sua biografia: Jaime Fernandes (1899-1969) foi diagnosticado com esquizofrenia e internado por mais de três décadas no Hospital Miguel Bombarda (Lisboa); o desenho e a escrita surgiram tardia e inesperadamente nos últimos anos da sua vida, no contexto da reclusão hospitalar.  Assim, as obras em Ninguém. Só Eu. tecem fios condutores relacionados com ideias sobre “experiência restrita”; “complementaridade entre experiência e descrição”; “imaginação e memória”, reconfigurando e materializando um mundo interior de leis subjetivas e poéticas.

Os artistas residentes e autores das obras em exposição são:  Ana Manso, Ana Santos, Belén Uriel, Francisca Carvalho, Jorge Queiróz, Mattia Denisse, Sérgio Carronha, Susanne Themlitz e Tropa Macaca.

Antonia Gaeta é uma curadora independente que tem vindo a desenvolver inúmeros projetos de curadoria em que trabalha de forma muito próxima com os artistas. É também uma das raras curadoras do país com um profundo conhecimento da arte bruta/outsider. Desenvolveu projetos de exposição com a coleção de arte Bruta Treger/Saint Silvestre no Centro de Arte Oliva, na Trienal de Arquitectura em Lisboa e na Casa Encendida em Madrid.