Aranhas, ferreiros e catadores
26 janeiro — 30 junho 2024

No Haiti, o aprendiz de ferreiro segura uma brasa na palma da mão, caminha com ela e acende um cigarro.
Em França, latas de feijão, garrafas de plástico, lâmpadas de tungsténio, fita adesiva colorida, entre outros restos de restos, de lixo, são sinais de guerra.
Em África a terra é perfurada, os minerais tomam a forma de armas.
No México, a resistência pela autonomia do território tem a forma e o ritmo lento de um caracol, desenhando uma fronteira de baba efémera na nossa imaginação.

Aranhas, ferreiros e catadores foi realizada tendo em conta os materiais acessíveis, audiodescrições, que o Centro de Arte Oliva tem vindo a produzir para público cego e com baixa visão.

A exposição apresenta obras das coleções em depósito no Centro de Arte Oliva.

Artistas: André Robillard, Gabriel Bien-Aimé, ​Gonçalo Mabunda, ​Rigo 23

PROGRAMA COMPLEMENTAR

8 de fevereiro | 13:30 | Pausa dedicada a Gabriel Bien-Aimé com Miguel Almeida
22 de fevereiro | 13:30 | Pausa dedicada a Rigo23 com Joana Ribeiro

14 de abril | 15:00 | Visita comentada com Mariana Rocha

 Vistas de exposição  © Centro de Arte Oliva