Traço Descontínuo: Coleção Norlinda e José Lima – Uma seleção
19 outubro 2013 — 3 maio 2014
Curadoria: Miguel Amado

Traço Descontínuo é a primeira exposição que passa em revista a Colecção Norlinda e José Lima. Como o título indica, promove-se não uma exposição subordinada a um ponto de vista único, típica de uma abordagem a um espólio já divulgado, mas uma que o revele nas suas múltiplas dimensões. Assim, este projecto socorre-se menos do primado de uma exposição temporária do que do princípio da montagem permanente de uma colecção numa instituição. Contudo, não se trata de uma mera apresentação do espólio, pois não se mostram as obras em função da importância dos respectivos autores na configuração do espólio, como é corrente em instituições, mas de acordo com uma leitura pessoal da Colecção Norlinda e José Lima, necessariamente enquadrada nas ideias e preocupações acerca da arte contemporânea do comissário”. [Miguel Amado]

Artistas: A.R. Penck (Ralf Winkler), Alberto García Alix, Álvaro Lapa, Andres Serrano, Andy Warhol, Ângelo de Sousa, Antón Lamazares, Antoni Tàpies, António Areal, António Costa Pinheiro, Antonio Saura, Arman (Armand Fernandez), Árpád Szenes, Artur Barrio, Bengt Lindström, Bernard Rancillac, Charles Juhász-Alvarado, Christo and Jeanne-Claude, Chus García Fraile, Cindy Sherman, Cisco Jiménez, Cristina Iglesias, Damien Hirst, Eduardo Arroyo, Enrique Marty, Erró, Eva Lootz, Francisco Vidal, Franz West, Gonçalo Duarte, Gordon Bennett, Günther Förg, Helena Almeida, Jacques Monory, Jan Voss, Jaume Plensa, João Louro, João Maria Gusmão + Pedro Paiva, João Vieira, Joaquim Rodrigo, John Christoforou, Jorge Días, José Bechara, José  Manuel Ciria, Joseph Beuys, Júlia Ventura, Julião Sarmento, Júlio Pomar, Karel Appel, Kcho, Leon Golub, Lourdes Castro, Lucio Muñoz, Luis Feito, Lygia Pape, Malangatana, Manolo Millares, Manuel Mompó, Manuel Rivera, Marcos Castro, Maria Helena Vieira da Silva, Markus Lüpertz, Martin Kippenberger, Massimo Vitali, Mauro Cerqueira, Michelangelo Pistoletto, Miguel Palma, Mimmo Rotella, Minoru Niizuma, Miquel Barceló, Mitsuo Miura, Nan Goldin, Nancy Spero, Nelson Leirner, Nicholas Hlobo, Niki de Saint Phalle, Nobuyoshi Araki, Noé Sendas, Paula Rego, Pedro Cabrita Reis, Peter Klasen, Rafael Canogar, René Bertholo, Rigo 23, Robert Combas, Robert Rauschenberg, Rui Chafes, Sam Francis, Sandro Chia, Serge Poliakoff, Thomas Struth, Tobias Lehner, Tracey Moffatt, Valerio Adami, Vanessa Beecroft, Victor Mira, Victor Vasarely, Vik Muniz, William Wegman e Yonamine.​

Miguel Amado é curador, investigador e crítico de arte. Foi comissário na Tate St. Ives em Inglaterra. Em Portugal trabalhou em entidades como a Fundação PLMJ (Lisboa) e no Centro de Artes Visuais (Coimbra). Foi comissário do Pavilhão Português na Bienal de Veneza de 2013. Foi Curatorial Fellow na Rhizome, New Museum e no Independent Curators International; Curator-in-residence no Abrons Arts Center e no International Studio & Curatorial Program (Nova Iorque). Como curador independente, organizou exposições no Museu Coleção Berardo (Lisboa), Apexart (Nova Iorque), bem como em eventos como a Frieze Projects na Frieze London (Londres). É crítico na revista Artforum e escreve, ainda, para revistas como a The Exhibitionist. Foi docente no Istituto Europeo di Design (Veneza).

Vista de exposição

Vista de exposição

Catálogo da exposição
170 x 240 mm
124 pp
Bilíngue POR/ENG
Design: Rui Mendonça (colaboração de Márcio Sá)
Depósito Legal: 365915/13

 

Folha de sala



Download