Traço Descontínuo: Coleção Norlinda e José Lima – Uma seleção (Parte II)
31 maio — 31 dezembro 2014
Curadoria: Miguel Amado

Traço Descontínuo é a primeira exposição, dividida em dois capítulos, que passa em revista a Colecção Norlinda e José Lima. A exposição não se subordina a um determinado ponto de vista, próprio de uma abordagem a um acervo já divulgado; pelo contrário, revela-o nas suas múltiplas dimensões. Assim, a exposição organiza-se de acordo com o princípio da montagem permanente do espólio de um museu.(…) A primeira consequência desta opção é o foco em artistas estrangeiros. Destes, destacam-se dois grupos: um maioritário e outro minoritário no acervo: artistas ocidentais icónicos ou recentemente consagrados, tanto actuais como das décadas de 1950 e 1980; artistas oriundos do hemisfério Sul com carreira iniciada na década de 1990 e 2000. (…) A segunda consequência desta opção é o traçar de uma panorâmica da arte portuguesa. A escolha dos artistas portugueses recai, assim, sobre canónicos das décadas posteriores ao pós-Segunda Guerra Mundial; das gerações consagradas a seguir ao 25 de Abril de 1974, especialmente os identificados com as décadas de 1980 e 1990; e com carreiras iniciadas na década de 2000, sintomáticos das novas gerações. [Miguel Amado]

Artistas: Alberto Carneiro, Alberto Garcia Alix, Ana Cardoso, Ângelo De Sousa, Anish Kapoor, António Palolo, Artur Cruzeiro Seixas, Cândido Da Costa Pinto, Carlos Noronha Feio, Clemens Krauss, Dan Graham, Daniel Steegmann Mangrané, Fernando Calhau, Francisco Tropa, Gonçalo Mabunda, Gonçalo Pena, Gunther Forg, Hans Hartung, Henri Michaux, Humberto Duque, Ion Alin Gheorghiu, Isabel Simões, Jaime Isidoro, Joan Fontcuberta, João Marçal, João Penalva, Jorge Galindo, Jorge Queiroz, José Loureiro, José Pedro Croft, Júlia Ventura, Kiawak Ashoona, Luísa Correia Pereira, Lygia Pape, Mafalda Santos, Manuel Caeiro, Mário Cesariny, Mário Macilau, Marta Maria Pérez Bravo, Nadir Afonso, Nuno Cera, Nuno Sousa Vieira, Pedro Calapez, Pedro Casqueiro, Pedro Tudela, Peter Haley, Raúl Perez, Roberto Matta, Roland Fischer, Rosa Ramalho, Santiago Ydañez, Susanne Themlitz, Takis, Vasilis, Victor Vasarely e Vik Muniz.

Miguel Amado é curador, investigador e crítico de arte. Foi comissário na Tate St. Ives em Inglaterra. Em Portugal trabalhou em entidades como a Fundação PLMJ (Lisboa) e no Centro de Artes Visuais (Coimbra). Foi comissário do Pavilhão Português na Bienal de Veneza de 2013.
Foi Curatorial Fellow na Rhizome, New Museum e no Independent Curators International; Curator-in-residence no Abrons Arts Center e no International Studio & Curatorial Program (Nova Iorque). Como curador independente, organizou exposições no Museu Coleção Berardo (Lisboa), Apexart (Nova Iorque), bem como em eventos como a Frieze Projects na Frieze London (Londres). É crítico na revista Artforum e escreve, ainda, para revistas como a The Exhibitionist. Foi docente no Istituto Europeo di Design (Veneza).

Vista de exposição © Patrice Almeida

Vista de exposição © Patrice Almeida

Vista de exposição ©Patrice Almeida

Vista de exposição ©Patrice Almeida

Vista de exposição © Patrice Almeida

Vista de exposição © Patrice Almeida

Vista de exposição © Patrice Almeida

Vista de exposição ©Patrice Almeida

Vista de exposição ©Patrice Almeida

Vista de exposição © Patrice Almeida

Catálogo da exposição
170 x 240 mm
104 pp
Bilíngue POR/ENG
Design: Rui Mendonça (colaboração de Márcio Sá)
Depósito Legal: 376609/14

€ 8.00

Folha de Sala



Download