There is no why, there is no I – Corpo e fisicalidade na Coleção Norlinda e José Lima
25 abril — 30 outubro 2016
Curadoria: Raquel Guerra
Produção: Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco

“Uma exposição que se realiza a partir de uma coleção não a representa na sua totalidade. Uma exposição será sempre uma perspetiva, uma reflexão, uma proposta de interpretação de uma parte da coleção.
As exposições realizadas a partir das nossas coleções (Coleção Norlinda e José Lima e Coleção Treger/Saint Silvestre) são sempre momentos privilegiados de estudo das mesmas. Por um lado, pretendemos que estes momentos de estudo contribuam para aprofundar o conhecimento que temos relativo às características físicas e materiais das obras em exposição e, por outro, desejamos aumentar o acervo discursivo sobre as obras das Coleções.
Na exposição There is no why, there is no I, aborda-se a Coleção Norlinda e José Lima sob o tema do corpo e a sua relação com a fisicalidade. Esta exposição reflete sobre as características do corpo, mas também sobre as ações que são realizadas com o corpo.
Esta mostra, que reúne 77 obras de 57 artistas, ilustra, sem margem para dúvida, a riqueza, a diversidade e a dimensão da Coleção Norlinda e José Lima em depósito no Núcleo de Arte da Oliva Creative Factory.” [Raquel Guerra]

Artistas: Adriana Molder, Alberto Garcia Alix, Álvaro Lapa, Ana Laura Aláez, Ângelo de Sousa, António Melo, António Saura, Arman, Bernard Rancillac, Carlos Roque, Carlos Vidal, Cindy Sherman, Clemens Krauss, Cristina Iglesias, Dado, Dany Leriche, Enrique Marty, Efrain Almeida, Erró, Gaetan, Gonçalo Pena, Helena Almeida, Jaume Plensa, João Penalva, João Tabarra, Joaquim Rodrigo, John Cristoforou, Jorge Molder, Jorge Pinheiro, José Manuel Ciria, Júlia Ventura, Julian Opie, Julião Sarmento, Luís Demée, Nan Goldin, Noé Sendas, Nuno Cera, Pedro Cabrita Reis, Pedro Casqueiro, Pedro Gomes, Pedro Tudela, Pires Vieira, Rogério Ribeiro, Rosa Carvalho, Rui Chafes, Rui Sanches, Rui Serra, Sam Samore, Santiago Ydañez, Shuntaro Nakaoka, Sofia Leitão, Susanne Themlitz, Vanessa Beecroft, Vasco Araújo, Vicente de Melo, Vítor Pomar e Vladimir Velicovick.

Raquel Guerra nasceu no Porto, em 1976 e é curadora e investigadora. Licenciada em História pela Universidade Portucalense e pós-graduada em Estudos Museológicos e Curadoriais pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, encontra-se, atualmente, a realizar o doutoramento em Arte Contemporânea no Colégio das Artes em Coimbra. Em 2011 foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian para realização de residência curadorial no Brasil (Residência Capacete). Tem-se dedicado à gestão de coleções de arte contemporânea: Coleção Marín.Gaspar, Coleção Norlinda e José Lima e Coleção Treger/Saint Silvestre. Entre 2014 e 2017 foi diretora do Núcleo de Arte da Oliva Creative Factory em S. João da Madeira, bem como diretora do Centro de Arte de S. João da Madeira entre 2015 e 2017.

Exposição organizada pelo Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco.

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Vista de exposição © Pedro Sadio

Catálogo da exposição
170 x 240 mm
96 pp
Bilíngue POR/ENG
Design: Rui Silva
Depósito Legal: 391928/15