Lusofolia: A Beleza Insensata
9 novembro 2019 — 15 março 2020
Curadoria: António Saint Silvestre

Lusofolia: Beleza Insensata apresenta uma panorâmica da arte bruta/outsider “lusófona”, com obras de mais de vinte autores de Portugal, Brasil, Angola e Moçambique. Obras dos portugueses Artur Moreira, Carlos Victor Martins, Jaime Fernandes, José Ribeiro, Manuel Bonifácio, dos irmãos Manuel e Ana Carrondo, Rui Lourenço, Serafim Barbosa; dos brasileiros Albino Braz, Camilo Raimundo, Evaristo Rodrigues, Jesuys Crystiano, José Teófilo Resende e Marilena Pelosi; e trabalhos de anónimos angolanos são apresentados em coletivo, oferecendo-nos uma visão de conjunto inédita da arte outsider oriunda destas geografias.

O termo Art Brut foi criado pelo artista francês Jean Dubuffet em 1945 para se referir a expressões artísticas criadas fora dos limites da cultura oficial, como desenhos e pinturas feitas por pacientes de hospitais psiquiátricos ou artistas marginais que desenvolveram seus trabalhos sem nenhum contacto com o sistema artístico. O termo tem vindo progressivamente a ser substituído por Outsider Art, uma expressão cunhada por Roger Cardinal em 1972 e que abrange uma maior amplitude de obras, as realizadas por pessoas que não receberam formação artística académica nem trabalham dentro das estruturas convencionais do mundo da arte.

Durante a exposição é exibido o filme Eternity has no door of Escape | Encounters with Outsider Art,  realizado em 2018 por Arthur Borgnis.

Artistas: Albino Braz (Brasil, 1893-1950); Ana Carrondo (Portugal, 1967); Anónimo Angolano; Artur Moreira (Portugal, 1967); C.V.M. [Carlos Victor Martins] (Portugal, 1972); Daniel Gonçalves (Portugal, 1977), Evaristo Rodrigues (Brasil, datas desconhecidas); Jaime Fernandes (Portugal, 1900-1969); Jesuys Crystyano (Brasil, 1950-2015); João Fróis (Moçambique, 1949); José Ribeiro (Portugal, 1967); José Teófilo Resende (Brasil, 1919-?); Manuel Bonifácio (Portugal, 1947); Manuel Carrondo (Portugal, 1969); Marilena Pelosi (Brasil, 1957); Mário Chichorro (Portugal, 1932); Mónica Machado (Portugal, 1966); Raimundo Camilo (Brasil, 1935-2015); ZMB (Rui Lourenço) (Portugal, 1973); Serafim (Portugal, 1983); “Ti Guilhermina”(Guilhermina Júlia) (Portugal, 1909-2004).

António Saint Silvestre, é colecionador e artista. Durante cerca de vinte anos dirigiu em Paris com Richard Treger uma galeria dedicada à Arte Bruta, Outsider e Singular, onde organizou todas as exposições. Paralelamente à atividade artística e da galeria ambos  foram construindo a Coleção Treger/Saint Silvestre, hoje  um dos principais acervos de arte bruta e outsider da Europa.

Uma versão mais reduzida da exposição Lusofolia foi apresentada entre março e maio de 2019 na Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva (Lisboa). 

Jaime Fernandes. Sem Título, n.d [1960-1969] © Paulo Cunha Martins

Artur Moreira. Sem Título, 2009 © André Rocha

Albino Braz. Sem Título, n.d [1930-1940], © André Rocha

Marilena Pelosi. Sem Titulo, 2016 © André Rocha

Catálogo da exposição

169 x 222 mm

Bilingue POR/ENG

Design: Francisca Rodrigues

Depósito legal: 453317/19

€ 15.00