EUREKA!
23 julho 2021 — 23 janeiro 2022
Curadoria...: António Saint Silvestre e Richard Treger

A exposição EUREKA! reúne obras de cerca de cinquenta autores pouco ortodoxos, sobretudo de artistas autodidatas, oriundos dos chamados domínios da arte bruta ou arte outsider, habitando muitos deles um lugar indeterminado entre a ciência e a criação artística, mas também entre a tecnologia e a metafísica. A exposição apresenta um panorama de projetos e investigações, de códigos, fórmulas e teorias que veiculam modelos alternativos de interpretação da realidade e que nos transmitem visões e soluções idiossincráticas do mundo. Simultaneamente, são expostos planos e projetos de invenções, máquinas e diversos veículos, criando estes últimos uma vasta galeria de aviões, carros, comboios e OVNIs.

EUREKA! retira o seu título da interjeição criada pelo matemático, físico e astrónomo da Grécia Antiga, Arquimedes de Siracusa, e desde há muitos séculos tem sido utilizada para expressar a felicidade e euforia das descobertas científicas e do conhecimento, celebrando a capacidade em se identificar, repentinamente, conceitos anteriormente incompreensíveis.

Artistas Adelhyd van Bender. Alexandre Medvedev. Alexandru Chira. André Robillard. Aníbal Brizuela. Artur Moreira. Charles Dellschau. Damián Valdés Dilla. Daniel Green. David Houis. Erró (Guðmundur Guðmundsson). Eudes Menichetti. Evaristo Rodrigues. Francis Marshall. François Burland. François Monchâtre. Gaël Dufrene. George Widener. Gérard Cambon. Gianni Antonelli. Giovanni Battista Podestà. Giovanni Galli. Giuseppe Barocchi. Guy Brunet. Henry Speller. Ionel Talpazan. Jacques Deal. James Chedburn. Jean Perdrizet. Jerry Gretzinger. Jesuys Crystiano. Johann Hauser. Johannes Stek. John Urho Kemp. José Johann Seinen. Julien Perrier. Jürgen Tauscher. Karl Hans Janke. Leos Wertheimer. Marco Raugei. Mattia Fiodispino. Melvin Way. Mónica Machado. Óscar Morales. Pepe Gaitán. Pépé Vignes. Roland Roure. Tom Duncan. Vitalis Čepkauskas. Warren Van Ess. Wesley Willis. Zdeněk Košek.

António Saint Silvestre, pintor e escultor, participou na criação e no funcionamento da galeria de arte de Richard Treger e na constituição da Coleção Treger/Saint Silvestre, em paralelo com a sua carreira de artista. Richard Treger fundou a galeria Richard Treger em Paris, que geriu durante mais de duas décadas. Simultaneamente construiu, juntamente com António Saint Silvestre, uma coleção de arte na qual os artistas ditos “marginais” ocupam um lugar de relevo.

Obras em destaque

Alexandru Chira. Installation for rain and rainbow (allegorical chariot) - (colored project), [1979-1981] © Dinis Santos

Karl Hans Janke. Orts-Verbindungs-Trajekt, n.d. © André Rocha