El Ojo Eléctrico
11 outubro 2019 — 5 janeiro 2020
Curadoria: Antonia Gaeta e Pilar Soler
Produção: La Casa Encendida, Madrid

El Ojo Eléctrico, com curadoria de Antonia Gaeta e Pilar Soler, concentra-se na apresentação de uma série de obras que usam a linguagem artística para desvendar uma enigmática ida e volta entre várias dimensões ou entre uma realidade visível e invisível, através de mensagens encriptadas que usam estruturas cosmológicas como suporte para realidades e mundos diferentes, muitas vezes deliberadamente obscura e de iconografia complexa.
A compreensão destas obras reside no encontro entre formas e significados que reúnem entidades e figuras tutelares. Um projeto sobre o mistério do significado e da presença oculta. A exposição dramatiza estes elementos como se fossem memórias transitórias que se materializam em realidades múltiplas e complexas, cálculos concretos, pirâmides de poder, apatia combatida com a concretização de uma missão visionária.
Enfatiza-se uma impossibilidade desafiadora de decifrar na sua totalidade a mensagem inscrita nas obras, uma vez que os artistas muitas vezes agem como mediadores entre o mundo racional e o desconhecido ou transcendental. Estas obras tornam-se relatos do inconsciente e assumem, sem querer, aspetos subversivos diante do discurso da ordem estabelecida. Questionam os limites da razão através de diferentes mensagens codificadas, fórmulas, figuras inventadas e códigos secretos. Há sempre algo oculto que se torna um enigma e que emerge como o único espaço possível de libertação perante a sua condição patológica. O projeto expositivo, pensado nesses termos, mostra a força dos processos subjetivos, obsessões compulsivas e visões fantásticas.

Adelhyd van Bender, Adolf Wölfli, Agatha Wojciechowsky, Albino Braz, Alexandro García, Alexis Lippstreu, Aníbal Brizuela, Anna Zemánkova, Augustine Lesage, Beverly Baker, Bruly Bouabré, Carlo Zinelli, C.V.M. (Carlos Victor Martins), Edmund Monsiel, Fleury-Joseph Crépin, Friedrich Schröder-Sonnenstern, George Widener, Gianni Antonelli, Guo Fengyi, Harald Stoffersade, Horst Ademeit, Jaime Fernandes, James Deeds, Janko Domsic, Jean Perdrizet, John Urho Kemp, Kashinath Chawan,  Madge Gill, Margarethe Held, Martín Ramírez, Maurice (Eugène Lambourdiére) , Melvin Way, Nina Karasek (Joële), Óscar Morales, Paul Goesch, Prophet Royal Robertson, Raimundo Camilo, Scottie Wilson, Vasilij Romanenkov, Volkmar Schulz-Rumpold, Zdenek Košek.

Mais sobre a exposição.

Adolf Wölfli. Sem título, n.d. © Paulo Cunha Martins

Gianni Antonelli. Sans titre, 2013 © Paulo Cunha Martins

Adolf Wölfli. Sem título, n.d. © Paulo Cunha Martins

Gianni Antonelli. Sans titre, 2013 © Paulo Cunha Martins