Arte Vudu na Colecção Treger/Saint Silvestre
29 setembro 2016 — 22 janeiro 2017
Produção: Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva

Exposição do núcleo de arte Vodu  da coleção Treger/Saint Silvestre no Museu Arpad Szenes-Vieira da Silva. O culto Vodu é originário da costa ocidental de África, do Togo ao oeste da Nigéria, alargou-se às Caraíbas, sobretudo ao Haiti e à América do Sul e do Norte, através do comércio de escravos dos séculos XVII e XVIII. Na arte Vodu a pintura e escultura são expressões populares e tradicionais de inspiração religiosa, utilizadas como meio de veicular mensagens divinas, de esperança, de união, de coragem e de ajuda mútua no trabalho e na agricultura. A arte Vodu, que tem uma origem animista, é também uma arte de transformação, atribui vida aos objetos. Os Bosmetal ou Bos pièsanfè transformam pedaços de madeira, chapas de metal recortadas em bidões de gasolina, pregos, ferro-velho e sucata em objetos de culto, criando uma iconografia religiosa onde cristianismo, hinduísmo e as crenças africanas e ameríndias convivem sem antinomia.

Artistas: Bizango, Camille-Jean Nasson, Gabriel Bien-Aimé, John Sylvestre, Lionel Saint Eloi, Poteau Dieudonne, Serge Jolimeau, Winston Cajuste e Winston Cajuste.

Exposição organizada pela Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva, Lisboa.

Vista de exposição

Vista de exposição

Vista de exposição

Vista de exposição

Vista de exposição

Vista de exposição

Folha de sala



Download